truque de mestre

X MEN

X MEN

domingo, 13 de setembro de 2009

Dirigido por Gus Van Sant é baseado na vida do político e ativista gay Harvey Milk, primeiro homossexual declarado eleito à um cargo público na California.

Harvey Milk é um gay de 40 anos, carismático e bem-humorado. Em 1972, muda-se de Nova Iorque para São Francisco em busca de uma nova vida com o novo namorado. Em pouco, tempo Milk torna-se referência na luta pelos direitos dos homossexuais, transformando –o em um líder político. Apesar da sua curta carreira na política (8 Anos), Milk foi responsável pela aprovação de uma rigorosa lei sobre direitos gays para a cidade.e tornou um ícone em São Francisco.

Teve Anne Kronenberg, como sua última gerente de campanha. Anne disse que o que diferencia Harvey de você ou de mim era que ele foi um visionário. “Ele imaginou um mundo virtuoso dentro de sua cabeça e, em seguida, ele tomou providências para criá-lo de verdade, para todos nós.”

Em 27 de novembro de 1978, Harvey Milk e o prefeito George Moscone foram assassinados por Dan White. Conflitos entre as tendências liberais que foram responsáveis pela eleição de Milk e a resistência conservadora a essas mudanças foram evidentes nos acontecimentos seguintes aos assassinatos.

Existem várias obras em homenagem a Milk, dentre as quais um documentário de 1984 premiado. Em 2008 o filme foi lançado contando a trajetória de Harvey, desde a sua chegada a São Francisco à sua morte.

O filme foi indicado ao Oscar de 2009 em 8 categorias: Melhor filme, melhor diretor, melhor ator (Sean Penn), melhor ator coadjuvante (Josh Brolin), roteiro original, trilha sonora original, figurino e edição de imagem. Venceu a estatueta de melhor ator e de melhor roteiro original.

Uma verdadeira lição de direitos humanos! Na pele de Sean Penn que atua brilhantemente no papel de Harvel Milk. Um filme emocionante, que com certeza ficará marcado na memória de todos os que o viram!

“MILK” ensina o valor do ser humano, mostra que todos nós somos iguais, independente de raça, sexo ou religião. Abaixo o preconceito!