truque de mestre

X MEN

X MEN

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Biografias raramente são fieis. Em “Nowhere boy”, baseado no livro “Imagine: Crescendo com meu irmão John Lennon”, que foi escrito por sua meia-irmã Julia Baird (que aparece no filme, e a quem tive a oportunidade de conhecer), o filme foca a adolescência do ídolo e ícone musical: John Lennon.

Para contar essa história, o roteiro se baseia a paixão pela música e o começo da carreira de John Lennon são muito bem retratados.

O filme mostra como foi a adolescência do cantor, dividida entre a tia que o criou, uma mulher rígida e metódica, e a mãe, livre e liberal, que John vem a se relacionar quando adolescente. O filme mostra bem a relação com ambas, as cenas desse núcleo são muito bem desenvolvidas e a dramaticidade é bem intensa.

A fotografia do filme além de trazer o clima frio da Liverpool, compõe um belíssimo trabalho de cores junto à direção de arte e retrata suas relações muito bem, mostrando como os extremos moldaram a sua personalidade.

O encontro com Paul Mccartney mostra logo de cara as óbvias diferenças da dupla de gênios que a princípio tinham tudo para não se gostarem.

A formação da banda, seu dia-a-dia, os problemas domésticos e o relacionamento com seus amigos, é tão passageiro e breve que as vezes dá a sensação de ser um filme raso, mas não, o filme não é ruim, pelo contrário, o que queremos é mais e mais, afinal é a a história de um dos líderes geniais da banda que revolucionou o Rock N’ Roll.

Quando o filme acaba a sensação que fica é de quero mais, no sentido de buscarmos os bastidores dos Beatles dessa vez (talvez como o documentário), mas como se trata da biografia de John Lennon, pode se dizer que o filme é genial!

Mais do que a biografia de um dos mais influentes artistas do último século, este filme é um retrato de uma época. O título do filme é inspirado pela música “Nowhere Man”, do álbum Rubber Soul.

"Nowhere boy" entra em circuito brasileiro ainda esse mês.