truque de mestre

X MEN

X MEN

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

'BATMAN - CAVALEIRO DAS TREVAS'



Como todo Blockbuster é um filme cheio de efeitos especiais, com um elenco de primeira linha e um roteiro condizente com a realidade em que vivemos. 'Batman - Cavaleiro das Trevas' seria um herói no corpo de um vilão ou um vilão no corpo de um herói?

Para começar não se trata de um filme do Batman mas sim do Coringa, encarnado incrivelmente por Heath Ledger numa surpreendente atuação digna de homenagem e prêmio. Coringa mostra todas as facetas de um ser humano alucinado pela realização de um desejo: o rosto de Batman.

Sinceramente, não vejo o Coringa como o vilão do filme. Vejo um ser humano capaz de todos os esforços para realizar o seu desejo, tá certo que o personagem não é um exemplo de pessoa, de fato é um insano que tem loucamente um desejo, mas que tem o controle da situação, esse é o Coringa.Neste ponto cabe colocar como cada ser humano é capaz de realizar o que realmente deseja e acredita.

Coringa consegue transformar as pessoas, é como se fosse aquele clique que te mostra o outro lado da história, seja ela qual for e de quem for. Coringa ajudou a criar o personagem “2 caras” , vivido por Aaron Eckhart, em busca do seu desejo. Harvey Dent é um homem bom que tinha esperança de uma Gotham melhor. Mas numa virada brilhante, Coringa o transforma em “2 caras”, o bem e o mal em uma pessoa só, poderia ser ele um novo Coringa? Definitivamente não, a diferença entre eles está no controle da situação, “2 caras” não tem, pelo contrário, ele faz parte do jogo.

Batman - O cavaleiro das Trevas revela a existência de um ser humano livre mas ao mesmo tempo preso dentro de si mesmo, e deixa a mensagem de que cabe a nós decidirmos o que realmente buscamos, acreditarmos e queremos.

Deixo claro, que não é um texto de auto-ajuda, mas sim para olharmos a nossa volta e lutarmos por um desejo comum a todos, de um mundo melhor, como falei no inicio 'Batman - Cavaleiro das Trevas' é condizente com a realidade em que vivemos, portanto devemos agir em busca da nossa existência.