truque de mestre

X MEN

X MEN

domingo, 11 de novembro de 2012

Ben Affleck descobriu sua vocação ao assumir seu lado diretor. Em "Argo", o ator e agora diretor, conta a história da revolução iraniana em 4 de novembro de 1979, quando chega ao seu ponto de ebulição, levando 52 americanos como reféns ao invadirem a Embaixada Americana.

É no meio do caos que seis americanos conseguem fugir e se refugiar na casa do Embaixador canadense Ken Taylor. Sabendo que é apenas uma questão de tempo até os seis serem encontrados e possivelmente mortos, um especialista da CIA em exfiltração chamado Tony Mendez traça um plano arriscado para tira-los do país em segurança. 

O filme tem sim seu lado didático para situar o espectador. E justamente por isso, consegue cumprir o papel de contar a história da Operação Argo, que aconteceu na década de 80.

"Argo" é tenso e emocionante desde o início, ainda assim é possível nivelar a seriedade do tema com tiradas cômicas sem nunca pesar a mão. 

Com uma trilha sonora escolhida a dedo e com sobreposições de imagem,  "Argo"  foi um acerto muito grande na filmografia do diretor.

O filme faz referência a indústria cinematográfica de várias formas desde sua relação com a imprensa, passando pela importância de L.A., citando o filme "A Batalha do Planeta dos Macacos" e chegando inclusive a citar a morte de John Wayne.

"Argo" é o tipo de filme que a Academia gosta de premiar, tanto que as chances vem crescendo e tem todo um buzz envolvendo premiar o Ben Affleck pela evolução.

Não chega a ser  uma obra-prima do Sr. Affleck, mas ficamos com o gostinho de um grande filme que é "Argo". O filme em si cumpre sua missão e mostra que o saldo final é  positivo. 

A cada filme que entrega, Ben Affleck mostra um desenvolvimento maior, crescimento como realizador e uma direção muito mais segura e competente. Esse filme é uma transição de um ator se tornando um diretor pra um cara que, realmente, descobriu o que faz melhor.