truque de mestre

X MEN

X MEN

quarta-feira, 30 de abril de 2014

GETÚLIO POR ALÊ SHCONIK

Só o sacrifício da vida pode justificar o erro de um passado,  só o sacrifício da vida poderá resgatar o erro de um fracasso.

Chega aos cinemas brasileiros, “Getúlio”, um filme que conta os últimos dias do Presidente da República diante do atentado que ocorreu na madrugada do dia 5 de agosto de 1954, na Rua Tonelero, no bairro de Copacabana.

Com atuações memoráveis,Getúlioé um marco no cinema histórico do Brasil, da mesma forma que “Lincoln” para os americanos.

É impossível não fazer comparações entre os filmes. A Fotografia é bem parecida, além de ambos serem marcos históricos em seus países. São filmes datados que em certo ponto acabam se tornando um pouco cansativos, mas nada que atrapalhe a projeção. 

Esteticamente muito bem feito, desde a caracterização de todos os atores em cena, passando pela Direção de Arte e a Fotografia que é impecável, "Getúlio" nos leva à um passado ainda muito presente na vida dos brasileiros.

A edição e a montagem também não fica por menos, o longa utiliza de imagens de arquivo para ilustrar a morte do presidente. O que faz um incrível contraposição com as imagens filmadas, atualmente. É bonito de se ver!

Logo depois do final da Era Vargas, os suspeitos do atentado foram condenados, Alcino teve a pena decretada a 33 anos, Gregório a 25 anos de prisão sendo assassinado dentro da penitenciária, bem como Clemério que foi condenado a 33 anos. José Antonio Soares foi condenado a 26 anos e Nelson Raimundo a 11 anos.

Existem algumas pessoas que não acreditam até hoje na autoria dos disparos, dizendo que tudo trata-se de uma farsa montada pelo Carlos Lacerda para tirar Getúlio do poder. Primeiro porque Lacerda já contou diferentes versões sobre o que aconteceu naquela noite, na Rua Tonelero, segundo porque Alcino diz que Lacerda atirou nas costas de Vaz e só então ele deu o tiro no peito do major, fato que foi confirmado pela autópsia e terceiro, porque Lacerda não entregou a sua arma para que fizessem a perícia.

Getúlio Vargas se suicidou onze anos depois da morte de seu filho Getulinho, na data de aniversário dele, em 24 de Agosto de 1954.

“Mais uma vez, as forças e os interesses contra o povo coordenaram-se e novamente se desencadeiam sobre mim. Não me acusam, insultam; não me combatem, caluniam, e não me dão o direito de defesa. Precisam sufocar a minha voz e impedir a minha ação, para que eu não continue a defender, como sempre defendi, o povo e principalmente os humildes.
Sigo o destino que me é imposto” ...