truque de mestre

X MEN

X MEN

quarta-feira, 4 de junho de 2014


Somente uma palavra pode definir essa refilmagem do filme coreano de 2003, violência. Nesse longa dirigido por Spike Lee a refilmagem mantem a essência violenta, mas em outro nível. Um desfile apoteótico de diversos tipos de violência aqui é demonstrada em toda sua plenitude.  Assassinatos, lutas, mutilação, tortura física, tortura psicológica, vingança, requintes de crueldade e violência moral recheiam os 104 minutos desse angustiante filme que não identificamos a marca do diretor.


Fora a violência, tecnicamente o filme cumpre com sua missão. Tem um bom trabalho de fotografia, efeitos, maquiagem e montagem. O ponto positivo do filme é a atuação marcante de Josh Brolin.

O cinema americano sabe fazer filme de ação como ninguém, mas quando tentar recriar algo de outro cinema nem sempre o resultado é satisfatório. A violência desmedida faz parte do cinema coreano e seria melhor não copiar ou recriar o que se tem de pior no cinema alheio. O Oldboy coreano tem uma legião de fãs que vão continuar preferindo o primeiro, mas nada impede de que goste dessa versão.

O roteiro não chega a ser ruim, mas peca no excesso de cenas de mutilação nas lutas. A motivação também é algo que poderia ser melhor, mesmo assim não justifica o percurso do vilão do filme.


Falando no vilão, o ator Sarlton Copley, desta vez não tem um desempenho tão bom quanto em trabalhos anteriores. Samuel L Jackson faz uma participação, mas um personagem que não vai fazer diferença alguma em sua brilhante carreira.


A versão 2014 de "Oldboy"  não é um filme que faz bem para alma. É bem pesado e revoltante. Recomendado só para quem tem nervos de aço e estômago de avestruz, ou para quem muito fã de Josh Brolin.  

Por: Andrea Cursino