truque de mestre

X MEN

X MEN

quarta-feira, 15 de julho de 2015

HOMEM FORMIGA POR ALÊ SHCOLNIK


Um dos blockbusters mais esperados do ano, enfim chega em águas brasileiras!

“Homem Formiga”
 tem a incrível habilidade de se diminuir em escala, mas aumentar sua força. O vigarista Scott Lang deve aceitar seu herói interior e ajudar seu mentor, Dr. Hank Pym a proteger o segredo por trás do seu espetacular traje de Homem-Formiga de uma nova geração de crescentes ameaças. Contra vários obstáculos, Pym e Lang devem planejar e executar um golpe que salvará o mundo.

A estrutura do filme é igual  a todos os filmes da Marvel, que segue sempre a mesma fórmula. A ação do filme se inicia do meio para o final, (alias, esse é ponto forte dele!) já a primeira metade serve para contextualizar o herói, contando a sua história e como ele se envolve com o seu mentor.

Durante toda a projeção a S.H.I.E.L.D é citada, constantemente junto com Os Vingadores, é interessante ver esse jogo de cena nos diálogos, que alias, são bem divertidos e com ótimas tiradas.

O tema do filme, (além de ser de herói, obviamente), é familiar. É o pai tentando se converter aos olhos da filha, isso vale para as duas tramas paternais em cena:  além de Paul Rudd e a pequena Abby Ryder, Michael Douglas e Evangeline Lilly tem uma relação pai e filha, que buscará a redenção.

O elenco é ótimo! A química em cena é boa e conta com o trio de latinos como os três patetas, permitindo boas risadas. Os Efeitos não ficam por menos, são muito bons.

A ideia de um filme do Homem Formiga é bem antiga na Marvel. Pensado antes mesmo do filme do Homem de Ferro, o longa demorou a sair do papel por dificuldades financeiras (a Marvel se recuperava de um período em que quase declarou falência), por incerteza da recepção do público e por risco de retorno financeiro ruim. Assim, o projeto ficou arquivado por mais de 10 anos, sendo constantemente trabalhado por Edgar Whright, que apesar de ter passado mais de uma década trabalhando no filme de seu herói favorito, pediu pra sair por conta de divergências criativas, mas manteve seus cargos de roteirista e produtor associado. Assim, Peyton Reed (“Sim, senhor!”) assumiu como novo diretor.

Lembre-se, é um filme da Marvel, portanto, não saiam antes dos créditos finais!